NOTÍCIAS DO BUDDHA DO NEPAL Quando Buddha-Boy Vira Bad-Boy

sexta-feira, 18 de maio de 2012
Ram Bahadur Banjam, em 2010.
PATHLAIYA, Nepal. Aos 22 anos, Ram Bahadur Banjam, o Buddha-boy, hoje um buddha-guy, pregador dapaz, que alega estar meditando já há cinco anos, nos últimos dois anos tem aparecido nas manchetes dos jornais por motivos completamente incompatíveis com a filosofia religiosa que professa. O rapaz está envolvido em epísódios marcados pela violência.
Tendo, inclusive, um comitê/organização que o representa, a Bodhi Dharma Shrawan Sangh, seus adeptos e familiares têm tomado iniciativas cruminosas. Em abril deste ano (2012), seus seguidores, entre eles, três irmãos de Banjam (Ganga Bahadur, Dil Bahadur e Babulai Bahadur), foram acusados de manter em cárcere privado duas mulheres: uma nepalesa (Mata Anni de Sindhupalchowk) e uma eslovaca (identificada apenas como Marichi, 35 anos) – durante três meses!
O próprio jovem guru pôs um fim na situação quando soube que os captores estavam assediando sexualmente as mulheres na floresta de Halkhoriya. Acompanhado de outro irmão, Limbu, este, armado com uma espada, dirigiram-se ao local onde o Buddha enfurecido espancou os malfeitores, entre eles, seu irmão mais velho, Ganga. Todos foram parar na delegacia de polícia e foram liberados na manhã de 03 de abril (2012).
O caso, cercado de contradições conta com versões desencontradas: uma das irmãs do guru diz que seus irmãos consideram que o comportamento indisciplinado de alguns seguidores (referindo-se às mulheres cativas) estaria manchando a reputação do mestre.
A mãe de Ram (o buddha-guy), Mayadevi (isso mesmo, homônima da mãe do Buda Sakyamuni, Sidartha Gautama), chegou a ir à floresta acompanhada das filhas e disse que o filho iluminado bateu em uma delas, Asali Lama. Elas foram lá para libertar os irmãos que estavam sendo punidos pelos jovem (o guru).
A POLÍCIA: Os policiais acionados (por um dos seguidores) contra Ram Banjam, chegando à selva de Halkhoriya, vendo a situação, curvaram-se diante do guru em reverência, deixando aqueles que foram espancados revoltados.
A FAMÍLIA: As relações de Ram Bahadur Banjam com sua família também estão comprometidas. Uma de suas irmãs, Raj Kumari disse aos midia que o jovem distanciou-se dos familiares e começou a “levantar a voz” contra os desmandos da organização Bodhi Dharma Shrawan Sangh.
Todavia, a família de Banjam também foi contrária ao cativeiro das duas mulheres (exceto os irmãos marginais) embora tenham tentado defender aqueles que participaram do episódio quando souberam que estavam sendo severamente castigados com o espancamento.
AS MULHERES: Os seguidores do guru responsáveis pelo cativeiro das duas mulheres alegaram contra elas que praticavam bruxaria e estavam perturbando a meditação do Iluminado.
A associação Bodhi Dharma Shrawan Sangh comõem-se de um grupo de devotos que encarregou-se (por conta própria) de garantir o bem-estar e a proteção do mestre. Relatórios médicos informaram que a eslovaca Marichi tinha uma das mãos quebrada, hematomas e estava traumatizada física e mentalmente.
Marichi chegou ao Nepal há cerca de um ano onde ingressou em um monastério, em Simara. Durante esse tempo ela insistiu em encontar Ram Banjam. O assédio teria motivado a ação dos membros da associação Bodhi Dharma Shrawan Sangh. Injustificável.
MANAHARWA. JULHO de 2010. Ram Bahadur Banjam, 20 anos (2010), que ficou conhecido no mundo inteiro como o buddhaboy, perdeu a cabeça com a impertinência de 17 homens na floresta Halkhoriya.
Acusando-os de, deliberadamente tentar sabotar sua meditação, o jovem místico, com a ajuda de um adepto, contrariando os princípios budistas, em atitude inusitada – espancou os inoportunos, segundo os queixosos, com um cabo de machado.
Quando finalmente conseguiram fugir, as vítimas procuraram socorro médico em Kalaiya, onde receberam analgésicos e vacina antitetânica. Pralhad Chaudhary, um dos feridos, prestou informações em queixa formal à polícia.
O presidente da associação Bodhi Dharma Shrawan Sangh, que pretende representar o Buddha-guy, confirmou que aquelas pessoas estavam determinadas a perturbar a meditação do guru. Banjam disse aos policiais que o confrontaram que não fez nada de de errado e argumentou:
Será que um tapaswee (sábio meditando) vai a um tribunal? Eu respeito as leis, mas somente as mais acertadas. Existem leis erradas. Eles tentaram me maltratar. Eu fui forçado abater neles. E eu não usei um cabo de machado, eu bati neles com as minhas mãos somente umas duas ou três vezes. Eles mentem.
(De fato, como 17 homens poderiam ser espancados tão intensamente por apenas dois jovens, por mais malhado que seja o Buddha-guy? Meditemos…)
Todavia, uma das vítimas apresentou traumatismo craniano. O jovem Iluminado ainda explicou: Eu tolerei enquanto eles fumavam e faziam barulho, mas eles subiram na plataforma onde eu estava meditando. Mas não fiz aquilo (bater nos homens) com raiva. Eu faço tudo com um sorriso. Fui obrigado a puní-los.
Em novembro de 2010, Ram Bahadur Banjam protestou para impedir o sacrifício de animais no Festival Gadhimai mas considerou fracassada sua missão; conseguiu salvar apenas 20 mil quando, normalmente são sacrificadas centenas de milhares de criaturas.
FONTES
BHANDARI, Diwakar. Buddha Boy turns violent‚ thrashes siblings.
Himalayan Times, publicado em 03/04/2012.
[http://www.thehimalayantimes.com/fullNews.php?headline=Buddha+Boy+turns+violent%E2%80%9A+thrashes+siblings&NewsID=326582]
Slovak woman detained by Buddha boy’s followers set free.
Nepal News, publicado em 26/03/2012
[http://www.nepalnews.com/home/index.php/news/2/17610–slovak-woman-detained-by-buddha-boys-followers-set-free.html]
BHANDARI, Diwakar. Buddha boy shows wrath.
Himalayan Times, publicado em 24/07/2010.
[http://www.thehimalayantimes.com/fullNews.php?headline=Buddha+boy+shows+wrath&NewsID=250955]
LAMICHHANE, Upendra. ‘Buddha boy’ unrepentan.
MY REPUBLICA, publicado em 26/07/2010
[http://archives.myrepublica.com/portal/index.php?action=news_details&news_id=21467]

Bamjan’s aides free Slovak woman

 

The Himalayan Times (already deleted)/7:16 PM | Posted by Roshan raj Bhattarai/http://thegreateverest.blogspot.in/2012/03/ram-bd-bamjans-aides-free-slovak-woman.html

 

PATHLAIYA:

A Slovak woman, who was being held captive by followers of Ram Bahadur Bamjan, nicknamed Buddha Boy, has been freed.

 

The 35-year-old woman, identified only as Marichi, was freed last night at around nine after mediapersons, police and locals raised questions about her abrupt disappearance about three months ago. Whereabouts of another woman from Sindhupalchowk, identified as Mata (nun),

who is also being held captive by Bamjan’s followers, is still unknown.

 

The two women were taken hostage by the followers of Bamjan, who have formed Bodhi Shrawan Dharma Sangh to what they say protect ‘Buddha Boy’, on charges of distracting the man in meditation in the Halkhoriya jungle.

 

Inspector KP Sharma of Area Police Office, Simara, who met Marichi at Lama Hotel this morning, told mediapersons that the Slovak woman looked tense. “She said she was kept in a tank in a ditch in Halkhoriya,” said Sharma.

 

Krishna Lama, who owns Lama Hotel, said a man identifying himself as Darshan Limbu from Bodhi Shrawan Dharma Sangh had left her in the hotel. “He appeared out of the blue on a motorbike last night, dropped her and left,” said Lama. Marichi came to Nepal two years ago to pay visit to Bamjan, who has been meditating since 2005, but had gone missing since December 28.

 

A scared Marichi with a broken arm refused to talk to reporters and urged them not to photograph her. “I won’t say a thing; Sangh and Bamjan have forced me into the promise that I won’t open my mouth,” said Marichi who seems to have received injuries on her head as well.

 

She was too moved to speak when people close to her met her this morning. “She wept herself into a state of exhaustion as she said she was tortured,” said a local from Simara. “She said she felt like she was at death’s door.”

 

Marichi could not tell about the other missing woman. “They kept me in ignorance about the nun. She was kept captive somewhere else, not with me,” a local quoted her.

 

Bara SP Dan Singh Bohara said he had also interrogated Marichi and that investigation was under way.

 

Police later handed over Marichi to Birgunj-based Immigration Office as her one-year visa for Nepal has expired.

 

Though her visa had expired, the Slovak woman was meditating in the Halkhoriya jungle and during one of those days she was taken hostage by Bamjan’s followers accusing her ‘of being a witch’.

 

In custody for overstaying visa

 

KATHMANDU: A Slovak woman, who was freed by the followers of Ram Bahadur Bamjan after keeping her hostage for about three months on Sunday night, was brought to Kathmandu on Monday. According to an official at the Department of Immigration, Marichi has been taken into custody as she has overstayed her visa. DoI officials did not allow media to talk to Marichi. However, according to Chegu Lama , a resident of Simara, who is assisting Marichi , she is in a state of distress and does not speak to anyone. Interestingly, Lama said she does not speak anything against Bamjan. In Simara, Marichi had said she wanted to return to Slovakia as soon as possible. She had also requested people close to her to help manage Rs 50,000 for her.

http://thegreateverest.blogspot.in/2012/03/ram-bd-bamjans-aides-free-slovak-woman.html